sábado, 10 de dezembro de 2011

Peça de Natal: A Manjedoura e a Estrela.

A Manjedoura e a Estrela.

ESTRELA (arrogante) —
Eu moro nas alturas consteladas e ando por entre as gázeas nebulosas, no éden, onde as estrelas são as fadas de longas cabeleiras luminosas. A via - láctea é o tálamo argentino onde derramo toda a minha luz... — Iluminar o céu é o meu destino, pois para isso na amplidão me pus. Nem águias, que transpõem cordilheiras, atingirão jamais onde eu habito, porque, cheias de tédios e canseiras, jamais penetrarão pelo infinito... Estrela — sou na etérea imensidade, a fulgura janela de cristal por onde espia Deus, da eternidade, o mundo cheio de tristeza e mal.
E tu, quem és, humilde Manjedoura, para que contes toda a tua gloria? Hás de pensar: eu sou imorredoura, pois não tem fim a minha trajetória...


MANJEDOURA (humilde, permanece abaixada e de cabeça baixa) —
Eu nada valho diante de uma Estrela, que enche o infinito todo de clarão, porém, não sendo eu fulgurante e bela, a minha glória não é sem razão — Vivo na terra, habito com a pobreza e nada sei da tua formosura; sou palha seca, seca e sem beleza, e só o pobre pária me procura. Os bois, que mugem ao cair do dia, buscam-me sempre com satisfação, porque o meu feno a fome que os crucia vai-lhes servir de abençoado pão... Não sou de Deus janela, como dizes ser entre os astros todos do infinito, mas os que vem a mim são mui felizes e de alegria soltam o seu grito. Isso me satisfaz, é a minha glória, se não clareio o céu, que quero mais? Cheia de ilustrações é a minha historia, mais bela que a dos mundos siderais!

ESTRELA
Não creio no que dizes, és fálace e, arrependida, a fronte não inclinas... Que seria do mundo, se faltasse o brilho das Estrelas peregrinas?

MANJEDOURA
Embriaga-te o fascínio das alturas e muito grande tu desejas ser, mas, apesar de tudo, não procuras um caso extraordinário me dizer!...

ESTRELA
Pois ouve lá: Ha séculos passados, quando guerra no mundo não havia, de entre outros Astros de clarões dourados, que transformam a noite escura em dia, fui escolhida, pelas mãos divinas, para desempenhar uma missão de procurar ao longo das campinas a do Messias pobre habitação.
Tomei o meu diadema luminoso e, de lampejos novos me vestindo, tornei o espaço mais esplendoroso. E nesse dia o céu ficou mais lindo.
E, cheia de fascínio, caminhando traves do atapetado céu, parti, o berço do Messias procurando, do Cristo cuja face inda não vi.
Errei pela amplidão da Palestina, como quem busca para si tesouros, como quem o seu nome não declina quando a vitoria aos pés lhe atira os louros.
Depois olhei no engaste azul celeste para escutar dos anjos as canções e embaixo vi Belém, de humilde veste, sorrindo para todas as nações...
Jesus nascera, o Salvador do mundo, cuja choupana iluminei, radiante, ele na terra, em seu fulgor profundo, eu a fulgir no páramo distante!
Tiveste tu a glória sublimada de, sobre a casa onde Jesus nasceu, brilhar — opala grande e iluminada — como naquele dia brilhei eu?

MANJEDOURA
Somente tu, Estrela fulgurante, brilhaste sobre o teto do Messias, mas não estavas tu no céu distante, como ver ao menino poderias? Foste menos feliz do que eu, no entanto, porque não contemplaste o Salvador, teu orgulho dos cimos era tanto que nem pudeste ver o bom Senhor! Pois eu vestes não tive aparatosas, nem me enfeitei de contas de esmeraldas, nem o meu solo atapetei de rosas, nem ostentei coroas e grinaldas, para, naquele dia memorável, ouvir dos anjos as canções sem fim, porque, sendo eu humilde e miserável, o Salvador nasceu dentro de mim! Fui eu quem teve a dita sublimada de receber a criança no regaço, quando, naquela noite iluminada, brilhaste no zimbório azul do espaço; fui eu quem, ao abrir no infinito os olhos abrasados pela luz, sorriu na terra para o peito aflito, no primeiro sorriso de Jesus!

ESTRELA — Tu tens razão... Adeus! Onde cintilo, pairam as nuvenzinhas cor-de-rosa, e inda percebo ouvir no céu tranquilo as melodias da harpa sonorosa... Adeus! Adeus! O espaço me convida e eu devo alar-me para os céus azuis; vou procurar em Cristo a eterna vida, pois vida eterna só há em Jesus!

MANJEDOURA (sozinha) —
Nasceu Jesus! Hosanas nas alturas
E paz na terra aos homens que Deus ama!
Vibrem de gozo todas as criaturas,
Porque do céu perfume se derrama
E a terra toda se enche de alegria
Para aclamar Jesus, o sumo bem,
O Rei nascido numa estrebaria,
Na manjedoura humilde de Belém.
  
Livro: Florilégio Cristão.

15 comentários:

  1. eu sstou emociobada de encontrar este dialogo que representei commeus dez anos na primeira igreja batista em agua doce do norte ode vivi a melhor partedaminha infancia que saudades como conenoravamos o nascimento de jesus depois aqui no rio ainda representamos algimasvezes com minha era maravilhoso o tempo passou nao se comemoram mais o nascimento dejesuscomo antigamente. agora e so comercio e papai noel que pena!mas ebom que existe este site asim talvez alguem se lembre dejesus bjs parabes vamos dinulgar coisas tao lindas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já interpretei esta peça na igreja ( assembléia de Deus) há aluns anos atras e nunca me esqueci dessas palavras, adoro este texto e tudo que ele transmite pra nós, ainda sei tudo de cór rs
      Nossa é muito bom relembrar certas coisas de momentos inesquecíveis, é uma pena que os seres humanos dão prioridade a coisas tão fúteis como "papai noel" e etc.. E esquecerão o verdadeiro significado do natal que foi o nascimento de Jesus Cristo nosso salvador o REI DOS REIS.
      Enfim a Manjedoura e a Estrela é uma peça linda demais♥

      Excluir
    2. Obrigado pelos comentários! Realmente uma bela peça! Sempre que posso, tento colocar esses textos antigos para relembrarmos os antigos natais... uma pena que as apresentações estão ficando esquecidas na maioria de nossas igrejas.

      Excluir
  2. Nossa ja interpretei essa peça com duas grandes amigas em Cansanção -Ba Geysa e Elaine maravilhosa...

    ResponderExcluir
  3. Que prazer então em dizer que apresentei também essa bela peça em minha igreja, quando adolescente, não existia net.

    ResponderExcluir
  4. Eu também já representei nessa peça quando criança. .. que saudade! Hoje recito para minha filha. Momentos inesquecíveis! Hoje a maioria das crianças não conhecem a história do nascimento de Jesus e nem conseguem decorar uma frase completa.
    Obrigada por compartilhar.

    ResponderExcluir
  5. Eu também já representei nessa peça quando criança. .. que saudade! Hoje recito para minha filha. Momentos inesquecíveis! Hoje a maioria das crianças não conhecem a história do nascimento de Jesus e nem conseguem decorar uma frase completa.
    Obrigada por compartilhar.

    ResponderExcluir
  6. Eu também já representei nessa peça quando criança. .. que saudade! Hoje recito para minha filha. Momentos inesquecíveis! Hoje a maioria das crianças não conhecem a história do nascimento de Jesus e nem conseguem decorar uma frase completa.
    Obrigada por compartilhar.

    ResponderExcluir
  7. Fiquei emocionada em relé esse maravilhoso texto pois tiver um grande previlegio de representa na minha igreja quando jovem fez o papel de mangedora me marcou muito obrigada por compartilhar com nosco este maravilhoso testo

    ResponderExcluir
  8. Fiquei emocionada em relé esse maravilhoso texto pois tiver um grande previlegio de representa na minha igreja quando jovem fez o papel de mangedora me marcou muito obrigada por compartilhar com nosco este maravilhoso testo

    ResponderExcluir
  9. Fiquei emocionada em relé esse maravilhoso texto pois tiver um grande previlegio de representa na minha igreja quando jovem fez o papel de mangedora me marcou muito obrigada por compartilhar com nosco este maravilhoso testo

    ResponderExcluir
  10. Fiquei emocionada em relé esse maravilhoso texto pois tiver um grande previlegio de representa na minha igreja quando jovem fez o papel de mangedora me marcou muito obrigada por compartilhar com nosco este maravilhoso testo

    ResponderExcluir
  11. Que bom que a tecnologia troche esse texto tão lindo...faz muito tempo que apresentei essa peça com a minha avó na igreja assembleia de Deus.queria muito apresentar novamente mais não sabia onde estava meu texto por fazer muito anos.
    Obrigado por compartilhar essa tão linda e profunda mensagem,que serve de lição para que ouve quando é representada ou lida.
    O menor sempre é o maior para Deus!

    ResponderExcluir
  12. Quando tinha uns 14 anos representei este dialogo com minha amiga Dorcas...eita saudade que bateu..hoje estou com 54 anos e continuo crendo no meu Salvador...

    ResponderExcluir
  13. Vou procurar em Cristo a eterna vida, pois vida eterna só há em Jesus.

    ResponderExcluir